RIVERA: compras na fronteira Brasil / Uruguai



Nada como uma passadela em Rivera para umas comprinhas...
Das cidades fronteiriças que conheço, tenho predileção por Rivera, porque além das compras podemos curtir um clima portenho. São inúmeros Free Shops, além de uma infinidade de pequenas lojas de eletrônicos, bebidas, roupas, cosméticos e perfumaria. É um pequeno paraíso de compras, a dois passinhos do Brasil.



Divisa do Brasil com Uruguai e junto a cidade de Santana do Livramento, fica a 498 Km de Porto Alegre – metade do caminho entre a Capital gaúcha e Montevidéu. Trajeto feito pela BR 290 – que se encontra em bom estado de conservação, passando pelos trevos de acesso as cidades de Cachoeira do Sul (Capital Nacional do Arroz), Caçapava do Sul (2ª Capital Farroupilha), Rosário do Sul (Berço do Gaúcho Nativo) e de São Gabriel (Terra dos Marechais – Marechal  Menna Barreto, Hermes da Fonseca, Mascarenhas de Morais, entre outros), chega-se a Santana do Livramento – conhecida como a “Fronteira da Paz”. De Livramento a Rivera? Basta atravessar a praça que marca a divisa das cidades/países (eu não disse dois passinhos?).
O sistema Hoteleiro na região é maravilhoso, em qualquer das cidades há ótimas opções para uma tranquila estadia. Os preços igualmente se equivalem, considerando as categorias de hospedagem disponíveis. Como sempre, nessa última estada optei novamente pelo Hotel Jandaia em Santana do Livramento, a uma quadra da divisa. O Hotel possui uma ala recém-reformada, com apartamentos maravilhosos,  equipamentos novos e um banho maravilhoso (água quente de caldeira) – há uma ala ainda sem reforma, com as instalações mais simples e com preço um pouco mais acessível. O café da manhã é um diferencial, servido em um farto Buffet, com muitas geléias, sucos e pães. O estacionamento com manobristas é super seguro (até que me provem o contrário!!!), pois sempre deixo o veiculo carregado, inclusive com muitas miudezas e jamais tive qualquer problema.
Vista da janela do Hotel Jandaia - 06/08/2012

A área de comércio de Rivera é bastante concentrada nas avenidas Sarandi e Agraciada e em suas transversais.  Na Avenida Sarandí se concentram os free shops, além de lojas de roupas, veterinárias e pontos de alimentação. Na Agraciada se concentram, especialmente, pequenos comércios de alimentos – mercearias, queijarias, docerias!!
Avenida Sarandí

Como a área de comércio é bastante concentrada, o fluxo de pessoas é intenso, mas sem tumultos ou correrias.  Felizes com a possibilidade de adquirir uma infinidade de produtos com precinhos especiais, todos andam felizes, de loja em loja, passeando com familiares ou em pequenos grupos.
Entre uma aquisição e outra o ponto de encontro, para minutos de relaxamento, é na Confiteria City, na Sarandí. No verão, as mesas na calçada ficam lotadas de turistas degustando cervejas Argentinas (entre outras nacionalidades). No inverno as mesas do interior são concorridas, todos a procura de café e chocolate quente. Em qualquer estação do ano, um balcão de doces uruguaios faz a festa dos exaustos consumidores – porque comprar também cansa!!



Balcão de Doces Uruguaios

Sanduiche Caliente

Quanto às refeições, considero que há três locais especiais e charmosos: La Leña, Cambalache e La Picaña. Em todos são servidos pratos especiais da culinária uruguaia (carnes e parrillas) regados a vinhos, além de sobremesas com muito doce de leite. No inverno, o calor do fogo esquenta as noites e faz a alegria dos turistas.  No verão, mesinhas na calçada possibilitam a degustação de bebidas geladas observando o movimento dos turistas e locais. Aos domingos, os moradores das duas cidades ficam rodando na Sarandí, observando a movimentação.

Cartão do Cambalache
La Picaña

Mas vamos às compras? Afinal, normalmente o sentido dessa viagem é esse. Primeiramente, vale dizer que free shops são lojas francas que vendem com isenção total ou parcial de impostos e apenas para estrangeiros. Os principais free shops são Neutral, Siñeriz, The Place, Mantra, Zebra e Barão, entre outros menores e menos conhecidos.  Nessas lojas encontramos cosméticos, perfumaria e maquiagens das marcas mais conhecidas mundialmente, artigos esportivos, roupas, louças, eletroeletrônicos, brinquedos, além de bebidas e gêneros alimentícios. Na Neutral não se esqueça de solicitar seu cartão fidelidade: preencha um cadastro, ele é gratuito, emitido na hora e proporciona descontos em torno de 5% para compras acima de U$ 200,00.
As bebidas importadas parecem ser o maior desejo dos compradores, o que se explica pela importante diferença de preços existente entre as lojas brasileiras e os free shops uruguaios. Espumantes, whisky e vinhos (chilenos, argentinos, portugueses e franceses) estão entre as bebidas mais vendidas, mas se encontram com facilidade toda uma gama de vodkas, licores, cervejas, entre outros. É bastante comum vermos turistas carregando os veículos com caixas e caixas de bebidas – mas se esse é seu desejo, não se esqueça de verificar sua cota em dólares, além do limite de litros por pessoa, pois há fiscalização no retorno.
Os artigos esportivos também estão entre os mais procurados. Tênis, agasalhos, além de equipamentos para práticas esportivas (futebol, ciclismo, golfe, etc).
Na área de alimentação são oferecidos chás, cafés, azeites de oliva de toda a ordem, doce de leite, chocolates entre tantas outras guloseimas. Isso nos free shops, pois na Agraciada encontramos além do doce de leite típico, bolachas, massas, queijos...
Nas pequenas lojas encontramos brinquedos, roupas – especialmente em lã (Lojas Indian, entre outras), pneus, materiais veterinários (observar itens permitidos – quase nada), roupas de cama, mesa e banho (Tendas),  etc... Para as crianças, há uma loja especializada na linha Disney, na Sarandí.
A fiscalização? Ela existe sim. Nessa semana, ao retornar, fomos parados no posto da Receita Estadual pelo Exército – verificaram documentos e deram uma olhadinha nas bebidas que trazíamos na carroceria da camionete (não olharam o interior do veiculo).  Em outras oportunidades já havíamos sido paradas, mas nunca tivemos problemas, mesmo algumas vezes estando acima da cota permitida. Entretanto, em finais de semana e nas épocas de festas recomendo observar os limites, especialmente no que se refere a bebidas e eletrônicos, pois sei de pessoas que foram paradas e tiveram que abrir toda a bagagem.
Feitas as compras, resta dar uma gostosa caminhada, sentar na praça e ver o movimento dos locais, observar as famílias caminhando ao final do dia, as crianças com seus uniformes e merendeiras (sim, elas usam) retornando das aulas. Se misturar, curtir o clima portenho, interagir com a população.

Como nem tudo são flores, com qual moeda fazer compras? Bom, nos free shops costumo optar pelo cartão de crédito (normalmente a cotação deles em reais não é boa, mas nessa última viagem estava mais em conta do que a do banco emissor do cartão). Para essa zona de fronteira não costumo levar dólares. Já nas lojas de rua, de roupas especialmente e na área de alimentação, o melhor é ter pesos ou reais sempre à mão – cotação de um por um. No comércio de vestuário (fora dos free shops) os preços já costumam estar em reais e regra geral o troco é dado em reais, salvo as moedas. Como viajo com alguma frequência para lá, já observei que sempre que a cotação do dólar sobe por aqui, afugentando os turistas por lá, os preços em dólares costumam cair um pouco de forma a compensar o câmbio – assim, não me assusto mais e vou com qualquer câmbio.
Mas se ainda sobrou dinheiro, o que acham de jogar no Cassino? Suas instalações estão reformuladas, com Hotel anexo. No site podemos encontrar as regras dos jogos disponíveis. Rivera Casino e Resort:

Antes de partir, dê um volta por Livramento. Se você não é da região e não está acostumado com lojas de imigrantes, que tal dar uma passada nas lojas dos "turcos" (eles lhe dirão Sirios!!!)?? Não custa conhecer a Igreja de Nossa Senhora do Livramento e fazer três pedidos:

Fora isso, se estiver de carro, curta as paisagens pelo caminho, os campos do pampa e da fronteira gaúcha. Se tiveres sorte, verás algumas Emas correndo pelos campos, livres. Aproveite, deixe os olhos verem longe...


Atualização 12/08/2013: visite o novo post e saiba das novidades. 

Visite também:

20 comentários

  1. Temos parentes no Rio Grande do Sul e as vezes encomendamos bebidas, que buscam em Rivera ou Rio Branco, tudo muito barato. Espumantes maravilhosos, principalmente as Cordon Brut. Aqui em São Paulo custam R$ 50,00 e de lá vem por R$ 20,00: muito mais barato. Bom esse post, você tá de parabéns. Bj Victoria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Victoria!!
      Os preços, mesmo em dolares, são bem em conta! Tem alguns artigos que não compro no Brasil há muito tempo: tênis, agasalhos esportivos, bebidas, maquiagens e perfumes!! Ás vezes ainda tenho aquela sensação de que não deveria, pois acabo deixando meu dinheiro por lá e o país não recebe os impostos, mas se os impostos não deixassem tudo tão caro?!! A diferença é tamanha, que compensa os custos de deslocamento e hospedagem, além de ser muito gostoso passar dois dias naquela cidade (mais do que isso fica repetitivo!!). Abraços,
      Paula

      Excluir
  2. Doce uruguaio dá água na boca :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb fiquei com águia na boca, mas p causa do sanduba!

      Excluir
  3. Já ouvi dizer que é muito bom para compras, mas não conheço. Gosto muito de fazer compras no Paraguai, mas não tem nenhum charme (rsrs), mas os precinhos são ótimos. Feliz fds.

    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A vantagem de Riveira é o charme, além das comprinhas. Dá para curtir os restaurantes e barzinhos, mas nada além de dois dias. Já tive oportunidade de permanecer periodo maior e cansa, pois as atividades acabam ficando restritas. Há quem se dirija para termas e hoteis nos arredores, mas não os conheço ainda! Abraços,

      Paula

      Excluir
  4. Que pintura, gosto muito desse lugas, já comprei muito whisky por lá. Os preços são imbativeis e a comida nem se fala, assado de tira com vinho!! Isso aí...

    ResponderExcluir
  5. Muito boa tarde meus jovens passeadores!
    Não conheço e esse ano vou para lá fazer aquelas comprinhas bacanas e comer comidas boas com o lucro.
    Vejo vcs por lá em no dia 15 de novembro.

    ResponderExcluir
  6. Gostei de conhecer Rivera pelas suas descrições e fotos. Ano passado tive a oportunidade de conhecer Chui /Chuy, boas compras, mas não tem o conforto e o charme de Rivera.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adelaide, quando tiveres oportunidade certamente adorará o lugar, que apesar de pequeno guarda um charme e um clima especial. vou em qualquer época do ano, mas nos meses frios ganha um perfume próprio trazido pelo fogo das lareiras e das parrillas. As demais cidades da frinteira se baseam apenas no conércio dos free shops, mas Riveira é antes de tdo uma cidade e isso é seu diferencial. abraços,

      Paula

      Excluir
  7. Alguém pode me indicar uma loja em Rivera ou santana do Livramento que venda lingerie bem baratinho????Não precisa ser de marca. Obrigada!

    ResponderExcluir
  8. oi. Lingerie não é um genero muito comum em Rivera. Há uma loja na Rua Sarandy, mas é pequena. Em Livramento há departamentos de roupas intimas nas lojas da cidade, mas os preços são normais. Estava para abrir uma loja no shopping Sineriz, mas não estive por lá nos últimos meses. Na Lú by Lollita havia algumas peças, mas nada significativo. Abraços,

    Paula

    ResponderExcluir
  9. Olá, estou pensando em ir a Rivera daqui há 7 dias mais ou menos, pois meu filho vai morar em Caçapava do Sul e o pessoal de lá disse que cobertores e casacos são mais baratos em Rivera, e como nós somos da Bahia a diferença de temperatura vai ser bem grande. Só não sei o que é necessário para entramos em Rivera, documentos pessoais e documentos do carro alugado em locadora. Se alguém puder me orientar, agradeço. Obrigada! Juce

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juce, veja que coincidência, sou de Caçapava. Lá é bastante frio, efetivamente. A ida para Rivera é simples, podes escolher sair via São Gabriel pela BR 290 ou via Bagé, pela BR 153 - indico via BR 290, mas com muita atenção por conta da cerração (neblina) muito intensa nessa época e perigosa. Não há necessidade de documentos, pois estarás na Zona Franca, na divisa entre os paises, não passará pela imigração. Quanto ao veiculo também não vejo problemas de estacionares no lado uruguaio, inclusive mais seguro, mas se desejares podes deixar no lado brasileiro, pois as cidades são divididas por uma praça apenas. Encontrarás tudo o que precisas e com ótimos preços. Tem cobertores maravilhosos nas Tiendas, com preços excelentes. Encontrarás muitos blusões em Burma e roupas esportivas. Acredito que gostarão do passeio. Precisando de mais informações é só pedir, pois transitamos muito por ali. Há também Aceguá, que é mais próxima, mas não garanto que encontrem cobertores. Abraços, Paula

      Excluir
  10. Olá, gostaria de saber o que é necessário de vacinas, documentos pessoais e de carro alugado para entrar em Rivera e fazer compras e voltar no mesmo dia. Ou se é melhor deixar o carro em Santana. Obrigada! Juce

    ResponderExcluir
  11. Fantástico gurias! Fiquei sabendo Hoje através do Ibácio Carrau e estarei por perto para colaborar no que for necessário! Parabéns pelo projeto! Saludos Fronterizos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada. Foi maravilhoso e a Carrau só deu ainda mais brilho para nossa trip. BjO!!!

      Excluir
  12. Bom día Paula, adorei a visita dessa turma de blogueiras da qual vc faz parte .... voltem sempre e assim como vc deve ter encontrado a Fronteira da Paz muito mudada garanto que assim continuará .... mudando SEMPRE mas para melhor .
    Bjs e lembranças em todo o time que veio nos visitar e conseguiram nos deixar com saudades nas poucas horas que estiveram por aquí .... boa viagem e até breve amiga,

    Ignacio Carrau
    BODEGAS CARRAU
    Cerro Chapeu e
    Cerro da Trindade
    Rivera e
    Sant´Ana do Livramento

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até breve, querido. Foi espetacular lhe conhecer e ter a oportunidade de desfrutar de sua hospitalidade. Certamente a Carrau só trouxe mais brilho e prazeres para nossa trip. Nos veremos, certamente. Bjão!

      Excluir

Para o Topo