De tempos em tempos uma parada, para aceitar o que não podemos mudar, para ganhar fôlego para o que ainda queremos fazer, para recalcular a rota. 


Eu vi um menino correndo,
eu vi o tempo
Brincando ao redor do caminho
daquele menino


O tempo que passa, que abraça, também trepida, joga as certezas para o alto e reembaralha o que queremos para a vida. 

Nessas últimas semanas parei para ouvir o barulho do vento, das águas e para deixar aflorar os sentidos, que quero dar aos caminhos. 



Para meditar e sentir o calor do sol, enquanto não reencontro o mar. 


A vida chamou: psiu, lembras que o que vale é a caminhada, que não há ponto de chegada? 

É, é preciso caminhar. 

Eu pus os meus pés no riacho
E acho que nunca os tirei
O sol ainda brilha na estrada
e eu nunca passei



Meu olhar passou por tudo, em segundos. A cabeça girou, o coração exigiu atenção e o corpo pediu um refresco. Mergulhei em águas límpidas, senti o frio daquelas que correm livres e encontram as brechas entre tantas pedras, para seguir sem fim. 


O olhar correu e encontrou belezas, cores e sentidos, naquilo que é simples, essencial. 

Eu vi uma mulher preparando outra pessoa
O tempo parou para eu olhar para
aquela barriga




Deixei o sol brilhar, apontar caminhos. Lembrei dos sorrisos que tenho economizado, dos papos sem hora para acabar dos quais tenho aberto mão, do valor de um abraço dado/recebido com amor, de um olhar mais demorado e das verdades que devem ser ditas, sem medo. 

A vida é amiga da arte
É a parte que o sol me ensinou
O sol que atravessa essa estrada
que nunca passou



O que fiz e disse nas últimas semanas talvez tenham sido os melhores remédios que poderia utilizar, deixei o coração falar por si, livre, sem freio. Olhei para trás, para poder ver o futuro. 



Nunca há perda, pois o que é construído com amor volta, se reconstrói e permanece. 

Passei duas semanas cantando essa música, que teve papel importante na minha vida outrora, a plenos pulmões, para lembrar que dessa vida só levamos o melhor que doamos, o bem que fazemos e o amor que oferecemos e recebemos (e que esse amor só faz sentido quando o que vai, volta e retorna, em círculos).  

Por isso uma força me leva cantar
Por isso essa força estranha
Por isso que eu canto (vivo)
não posso parar
Por isso essa voz (força) tamanha

Desejo que a força que reencontrei, que os caminhos que tracei, me levem além e que, ao dividir, multiplique. 
______________________________ 

Por conta da música procurei amigas que são mães e pedi fotos, para ilustrar esse post, que estava no rascunho desde cedo. Tantas me socorreram com imagens lindíssimas, de momentos tão especiais, mas uma me surpreendeu. A Gabi aproveitou para contar que a família viajante cresceu e tudo o que pensava em escrever fez ainda mais sentido - felicidade resume meu sentimento em poder dividir com o casal esse momento. 

Só posso agradecer as amigas, a vida e ao Mochilinha, que trouxe essas mulheres especiais para minha vida. Que essas vidas que andam chegando, aportando num mundo tão confuso, o façam melhor. Por óbvio, não poderiam ficar de fora desse momento. Obrigada! 










______________________________________________ 

Música: Força Estranha, de Caetano Veloso. Linda em tantas vozes, mas única na voz de seu letrista, especialmente nas gravações ao vivo. Queres curtir, em outra dimensão? Coloca para tocar na eletrolinha e deixa o clima rolar, solto. 








Um brilhante projeto, uma turma antenada e disposta a desbravar os caminhos dos revolucionários farroupilhas, onze dias de estrada e dezoito cidades. Cinco blogues, mais de dois mil quilômetros rodados e muitas atrações turísticas e belezas naturais descobertas. 

A Rota Farroupilha refaz os caminhos percorridos pelas tropas revolucionárias e legalistas, passa pelos campos de batalhas da Revolução Farroupilha de 1835, mas com um olhar sobre o novo, garimpando além da história, buscando o que cada uma das 17 cidades gaúchas visitadas possui a oferecer, com enfoque turístico. De brinde, um pouco de Rivera, a pequena uruguaia que faz fronteira com Santana do Livramento. Ficamos encantadas com o tanto de história, com o acervo arquitetônico belíssimo, vinícolas, gastronomia local, boa hotelaria e muitas atrações surpreendentes. As belezas naturais da região são únicas.


O Guia RS - Rota Farroupilha conta com 106 páginas, discorrendo sobre as 18 cidades visitadas, possibilitando que o viajante percorra integralmente o percurso ou opte apenas por trechos, a partir dos elementos que lhe serão disponibilizados. 


Para cada uma das cidades visitadas há um relato acerca do panorama histórico, além de muitas dicas de passeios, restaurantes, hotéis, compras e muito mais. 

Venha conhecer e aproveitar o melhor de zonas menos exploradas turisticamente do Rio Grande do Sul, mas repletas de belezas e atrações: Costa Doce, Campanha Gaúcha e Fronteira.

O projeto nasceu em 2016 e ganhamos as estradas no frio do mês de julho, trabalhamos o material reunido ao longo dos 11 intensos dias e agora, na semana que comemoramos 182 anos do grito revolucionário, lançamos o guia. 


Rota Farroupilha, o novo roteiro do Rio Grande do Sul, virou um guia e-Book*, escrito por várias mãos e contando com os olhares das amigas blogueiras e jornalistas que, animadamente, percorreram os caminhos revolucionários. 

Autoras
Alexandra Aranovich - Criz Azevedo - Gardênia Rogatto - 
Paula Brum - Roberta Martins


GUIA RS ROTA FARROUPILHA

formato digital PDF
106 páginas
valor: R$ 34,90

* Entenda como funciona

Como comprar?

Clique na faixa amarela, siga as instruções para inserir os dados do cartão de crédito ou seu saldo do PayPal e finalize a compra. O link para baixar o pdf do seu Guia RS Rota Farroupilha aparecerá na página de confirmação de compra. Não se preocupe, no momento da compra receberás instruções complementares e dados de contato, para o caso de ocorrer quaisquer intercorrências. 

Nunca comprou um pdf?

É simples, basta ter um leitor de pdf no seu computador, tablet ou celular. Baixe gratuitamente o leitor Adobe Reader neste link. O guia vem com instruções de uso, para que baixe e salve em seu computador, tablet ou celular.








Todos sabem do carinho que tenho pela pequena Canela, por sempre me oferecer uma cama quentinha e possibilitar caminhadas sem pressa e papos sem atropelo. Não faço segredo sobre minhas paixões, afinal. 

Poderia enumerar coisinhas que acho que a diferenciam de Gramado, mesmo estando abraçadas por ruas e avenidas, mas acho que basta dizer que são diferentes em sua essência. 

Como é gostoso aquele aroma de lenha queimando no ar, a tranquilidade das ruas, o calor de sua gente simples e a receptividade de seus comerciantes. 


Canela tem uma linda cascata, belos parques, restaurantes intimistas e cheios de calor, hotéis e pousadas para todos os gostos (e bolsos) e uma Catedral belíssima. Mas, mais que tudo, ela busca ser inclusiva. 


Sabores de Canela é o evento que melhor a descreve, pois traz da simplicidade dos pedacinhos perfumados e doces de canela o elo para unir moradores e turistas. O projeto é para todos e por isso ganhará, nesse ano, a praça. 

Cada um dos participantes terá uma receita especial, em seu cardápio ou café-da-manhã, que tenha por base a especiaria. Além disso as levarão para a praça, para que todos tenham acesso ao resultado das criações preparadas para a 8ª edição do Sabores, que acontecerá ao longo do mês de setembro/2017. 

Mais que receitas, o projeto prevê cursos e oficinais. Serão dias repletos de atrações, como podemos ver pela programação:

Palestra “Conversando sobre os benefícios à saúde da especiaria Canela”
05/09 (terça-feira) - 17h
Local: Espaço de Hospitalidade da UCS – Hortênsias

Petit Sabores de Canela
09 e 10/09 (sábado e domingo) 11h às 22h
Local: Praça João Corrêa
- Oficina gastronômica – “Pitada de Canela” – ministrada pelo SENAC.
- Espaço de exposição – carros antigos e artesanato local
- 15h – Show Tango Latino América
- 17h- Show Rodrigo Batista, tango e bolero no acordeon
- 20h – Show com a Banda Rock de Galpão

10/09 (domingo) 11 às 20h – Petit Sabores de Canela
- Oficina gastronômica – “Pitada de Canela” – ministrada pelo SENAC.
- Espaço de exposição – carros antigos e artesanato local
- 15h- Show Musical
- 17h- Show Musical
- 19h- Show Musical

Curso – Capacitação em Boas Práticas em Serviços de Alimentação
12 e 13/09 (terça-feira e quarta-feira)
08h30min às 12h30minmin e das 13h30min às 17h30min
Total de 16 horas
Local: Espaço de Hospitalidade da UCS – Hortênsias

Curso- Cuisine Française Moderne-
Receitas contemporâneas da culinária Francesa
16/09 (sábado) - 09 às 14h – Total de 05 horas
Local: Espaço de Hospitalidade da UCS Hortênsias 

Concurso – Jovem Chef “Sabores de Canela”
22/09 (sexta-feira) – 16h às 22hs – Total 06 horas
Local: Espaço de Hospitalidade da UCS Hortênsias

Petit Sabores de Canela
23/09 (sábado) 11 às 22h – Petit Sabores de Canela
Local: Praça João Corrêa
·         Oficina gastronômica – “Pitada de Canela” – ministrada pelo SENAC
·         Espaço de exposição – carros antigos e artesanato local
·         Show com a banda Duo On The Hill – 16h
·         Show com a banda BeatFingers – 17h
·         Premiação – Jovem Cheff Sabores de Canela
·         Show com a banda Sonidoclub 20h

24/09 (domingo) 11 às 20h – Petit Sabores de Canela
·        Oficina gastronômica – “Pitada de Canela” – ministrada pelo SENAC
·         Espaço de exposição – carros antigos e artesanato local
·         Show com a banda Duo On The Hill – 17h
·    Show com a banda Revolver – 18h
·    Show com a banda Star Beatles – 19h / Argentina (Participante da International Beatle Week de                  Liverpool 2017) + Participação especial de Fabiano Feltrin, cover de Elvis Presley.

Curso – Hospitalidade no Atendimento ao Público (UCS)
26 e 27/09 (terça e quarta-feira) – 18h30min às 22h30min – Total de 8 horas
Local: Espaço de Hospitalidade da UCS – Hortênsias

Curso Boas Práticas no Serviço de Alimentação (SENAC)
27/09 (sexta-feira)- 14h
Local: Associação Comercial e Industrial de Canela

*Programação sujeita a alteração

Estivemos no coquetel de lançamento e vimos como estão organizados e preparados para fazer dessa edição um sucesso. 

A Pousada Canela foi nossa anfitriã e ofereceu antecipadamente seus sabores: Bolinho de Chuva de Canela. 



Preciso assegurar que estavam deliciosos e que se não tivesse fotografado rapidamente, não teria sobrado exemplar para posar para minha lente?

Não conhecia a pousada, que trabalha num sistema bem familiar. Isso está presente na simplicidade dos ambientes e na aconchegante sala de estar e jogos, com uma lareira tamanho família. 





Agora, estar em Canela, ainda que rapidamente, e não fotografar no entorno da Catedral de Pedra é algo que jamais aconteceu na minha vida. E lá fomos descobrir as belezas proporcionadas pelo novo sistema de iluminação.



Muitas cores...



... cheias de tons...



... e algumas poses (coisa rara). 




________________________________________________

O Mochilinha Gaúcha integrou a turma convidada para o Coquetel de Lançamento da 8ª edição do Sabores de Canela, por iniciativa da assessoria de imprensa da ACIC, sendo recebido pela Pousada Canela sem qualquer custo, mas o presente post foi redigido com a isenção e a liberdade características desse espaço. 


Para o Topo