O pequeno diário nasceu, permaneceu, ganhou cores, amores, se plantou e voou. 


Tantos foram os estágios que atravessamos juntos nesses últimos quatro anos, que recordar emociona. 

Saiu de mim, ganhou vida, personalidade, desafiou e voa livre, mesmo quando a inspiração me falta. Exige e faz com que dê de mim para ele as cores mais lindas, os tons mais suaves e as palavras mais doces. 

Quando paro para pensar vejo o tão pouco que doei e o tanto que recebi, nesses anos. Doei letras, alguns versos e ganhei amores, paixão, histórias e tantos amigos. 



No último ano precisei mudar, inovar e achei que lhe dando roupinhas novas bastaria. O Mochi ganhou novas formas, cores mais intensas, sem deixarem de ser leves, mas ficou mais silencioso. O deixei um tanto calado, precisava buscar em mim o prazer e a inspiração para lhe encher de histórias. 



Mudamos um tanto a cada dia, os prazeres de hoje talvez já não sejam os de amanhã, evoluímos. O Mochilinha é algo que sai de mim, mas tem vida própria, exige e de mim se liberta, vez ou outra. Não dizem que criamos os filhos para voarem, livres? 

A inspiração está retornando em forma de novos projetos, de mudanças. 



Pela primeira vez desejei que outros escrevessem. Venho escolhendo amigos para trazerem um tanto das histórias dos lugares onde moram, por onde andam, as cores que enxergam e que desejam nos mostrar. Um projeto sem cronograma, sem agenda de publicações, livre como desejo que seja meu pequeno diário. 

Estou curtindo eternizar essas amizades e essas etapas no blog, tornar perene os bons momentos e muitos amigos ainda passarão pelo espaço Amigos e Cidades.

Se criar o blog trouxe esse universo de histórias e pessoas para a minha vida, nada mais natural do que partilhar. Assim nasceu, em comemoração aos 4 anos do pequeno, o Leiturinhas Viajantes Liquidificadas. 



Enquanto se vive novos momentos é difícil precisar o quanto isso marcará nossa história, efetivamente. Hoje acredito que ter aceito o convite da Roberta e da Gardênia para integrar a equipe do projeto #RotaFarroupilha, por elas idealizado, e estar vivendo em grupo tal experiência é um marco. Uma pessoa tímida (não mais calada, confesso), que não aprecia dividir espaços, rodando feliz com a turma pelas estradas do Rio Grande é algo, no minimo, inesperado. Um projeto inspirador, uma viagem deliciosa e muito material para trabalharmos regiões tão carentes de incentivos na área turística - a Costa Doce, o Pampa e a Fronteira Oeste se descortinaram aos nossos olhos, cheias de belezas, lindas atrações e um povo acolhedor e hospitaleiro. 



Pensam que apenas dividir espaços e decisões já foram uma super evolução? Logo percebo que não viram a Gardens pilotando a Fera por aí, livre e leve. Sorte minha que a paulista é boa de direção, o coração nem ficou saltitante. 

E as fotos? O álbum do #RotaFarroupilha superará em número as fotos que tenho da vida inteira. Até lá pelo snapchat do Gleiber andei aparecendo. Só tenho agradecimentos aos companheiros de estrada - Roberta, Gardênia, Cris, Alexandra e Gleiber, pelo companheirismo e paciência.

Um espaço para os amigos, outro para as leituras que recheiam meus dias e minha vida, novos projetos, tudo misturado e um tanto liquidificado no que o Mochilinha se tornou. Sim, tenho dificuldade em chamá-lo de "o blog", pois ele tem nome, apelido, personalidade e gosta de festa. 

Parabéns para o Mochi, que continue enchendo minha vida de belezas e doando histórias e cores para quem o curte. 

Pensaram que seria só isso? Esse ano a comemoração terá festa com os espumantes da Campanha Gaúcha e convidados, pois , Gardens e Alê já estão ali, enchendo os balões! 




Peguei um avião para Belo Horizonte para viver dias que já sabia seriam deliciosos e especiais. Assim são os Encontros de Blogueiros de Viagem, repletos de alegrias. 

Depois de uma tarde deliciosa passeando no Inhotim, como contei aqui, uma passadinha no hotel e o primeiro reencontro. Do hotel para a abertura do BH2016, já na companhia da Flora e do José Carlos. 

O GPS nos pregou uma pequena peça, dizendo para ficarmos dando voltinhas numa praça, mas desfeito o engano chegamos rapidinho no Templo Cervejeiro - Cervejaria Backer


A Backer era o primeiro ponto de encontro da turma, lugar de conhecer amigos virtuais e reencontrar amigos queridos que estão espalhados por aí. Começava o Blogtecando. 


O lugar é lindo, mega aconchegante e nos recebeu muito bem. Parabéns aos organizadores, foi uma feliz escolha, especial.  




A Backer é a cervejaria artesanal mais antiga de Belo Horizonte e possui o Templo Cervejeiro, um espaço para receber os degustadores mais apaixonados. No complexo encontramos a Maternidade Cervejeira (a fábrica) e o Restaurante. 



As visitas para degustação na Maternidade são feitas aos sábados, em três horários, mediante agendamento. Abriram uma exceção para recepcionar nosso animado grupo, numa agradável noite de sexta-feira. 


A sommelier Priscilla Colares nos recepcionou, divididos em dois grupos, primeiramente na sala multimídia. Ali ela explanou sobre a evolução do fabrico da cerveja através dos tempos, a história da backer, os ingredientes e os estágios de fabricação até chegar no copo dos apreciadores. Tudo isso vindo de uma apaixonada foi especial e todos partiram para a etapa dois ainda mais animados. Bora para a Maternidade Cervejeira?



Da mistura dos ingredientes até o encaixotamento das desejadas garrafas, um tour completinho pela fábrica. 




Ufa, acabou? Claro que não! 


Hora da degustação. Uma régua para cada convidado, cinco qualidades diferentes em sabor, teor alcoólico e etc. Bom, acho que venci a régua, afinal está vazia! 



Para encerrar a visita, uma de trigo super fresca, tirada direto no barril e um lindo copo viajante, presentinho que veio para Porto Alegre. 


Adorei os nomes das cervejas degustadas: Exterminador de Trigo, Capitão Senra, Medieval, Pele Vermelha e Bravo. 


Super recomendo a visita guiada da Backer - instrutiva, divertida e mega saborosa. 


Segunda etapa? Abraçar os amigos. Felizes encontros e reencontros. 

Vamos lá. Eu e minha amiga amada, gauchinha que anda perdida por Curitiba, a Gabi - Devaneios de Biela (de quem furtei diversas fotos lindas para esse post). Acho que é nosso primeiro registro, juntas. 


Um registro muito legal, meu com Flora e José Carlos, a primeira vez com o casal reunido. Florinha já foi parceira nos Encontros de Brasilia e Porto Alegre, além de perambular comigo sempre que vou para São Paulo. Conhecia as filhotas, faltava o maridão. Companheirões, os dias foram ainda melhores na companhia deles. 


Ah, amigas de muitas gargalhadas: eu, Ná e Alê, do Tô Pensando em Viajar. Esse registro não poderia faltar. 


Ops, mas faltava alguém, que tentava se esconder por detrás das lentes. Sô, feche os olhos e venha, pois não há alternativas para sua timidez. Agora sim, quarteto de risadas e fofocas (muitas fofocas) reunido. 


Mas, como fomos encontrar e reencontrar amigos, bora entrar nessa foto, pessoal? 


Por isso o registro maior é sempre especial. Não esqueçam de contabilizar a Muçarelinha, ali na barriga da Nat, que poucos dias depois ganhou o mundo como Olivia! 


Falei que além da Maternidade, para os aficionados, há o Restaurante para os esfomeados? Ainda bem, pois a fome bateu. Enquanto o pessoal seguiu experimentando as cervejas, eu fui de coca-cola e algumas calorias, aproveitando a linda decoração do restaurante. 



Estava delicioso. 



Acredita que não vi que tinham sobremesas lindas? Pois é, o pessoal fez o sacrifício de degustar um creme brulée de Nutella - penitência no milho para esses pecadores é pouco, já que não me avisaram sobre o pecadinho disponível. 

Antes de partir, uma passadinha na loja para aquisições "para viagem", além de resgatar meu Diploma do Curso. Tenho a prova do crime! 

Informações sobre agendamentos e outros, vá direto no site da Backer, clicando aqui

#EncontroBH2016 aconteceu entre os dias 17 e 19 de junho de 2016. Foi organizado por Renata Campos do blog RêVivendo Viagens com participação de Camila Navarro (Viaggiando) e Helder Ribeiro e Lillian Brandão (Nerds Viajantes). Contou também com a parceria dos estabelecimentos Cervejaria BackerA Pão de QueijariaBar do Antônio Pé de CanaAlmanaque ChoperiaMuu Espetos222 BarRestaurante Maria das Tranças e Alessa Gelato. Além do apoio da Belotur e patrocínio da RentCars.



A visita feita na Cervejaria integrava a agenda do Encontro, nos receberam com um espaço reservado e nos ofereceram a degustação, mas pagamos os valores normais exigidos pela casa quanto ao restante e que são condizentes com o que é oferecido. As opiniões aqui expostas independem da parceria feita entre os organizadores e a direção do estabelecimento. 





O Leiturinhas Viajantes é uma idéia que carrego há anos, um tanto inspirada num projeto que o blog Andarilhos do Mundo tinha quando iniciei na blogagem e que, confesso, tirou o Mochi do ostracismo dos iniciantes e o divulgou em todos os catetos e hipotenusas da vida virtual. Um agradecimento especial aos meninos, Gleiber e Sandro, pela inspiração que os pés na areia sempre me trouxeram e pelo impulso que deram ao pequeno blog viajante. 

Sou uma leitora contumaz, mas ultimamente tenho curtido distrações curtas, leiturinhas (ah, agora entenderam o nome, foi?). 

No próximo mês o Viagens da Mochilinha Gaúcha completará 4 anos de uma vida que tanto influenciou a minha vida. Ele, através das leituras que atraiu e proporcionou construiu pontes, entre pessoas, histórias e vidas. Esse projeto é parte das comemorações de aniversário. É isso que desejo que o Leiturinhas proporcione, pontes que liguem pontos, histórias e conhecimento. 

As pequenas leituras alegram meus dias, me enchem de sonhos e me distraem, especialmente naqueles momentos de estresse em níveis excepcionais. Pois é, era uma criatura que trabalhava sem parar, sem respirar, sem levantar até entender que minha produtividade cresce quando me deixo levar um pouco nas histórias com as quais aprendi a encher meus intervalos. Há tantas flores, perfumes e sonhos em forma de letras rolando por ai, afinal. Desejo partilhar. 

Não sei parar o que estou fazendo para ler um capitulo de um livro ou o jornal do dia, até porque quando pego um livro curto exauri-lo num só fôlego, mas me permito pequenos intervalos para leituras do cotidiano, de pequenas histórias, de noticias e outros. Garimpo na timeline o que ela tem a oferecer naquele instante, reconhecendo como tudo é tão vasto nas redes sociais, mas efêmero e, mesmo os melhores textos, desaparecem em meio ao emaranhado de novas publicações.

Há anos leio sobre viagens, sigo uma infinidade de blogueiros do nicho e sou amiga de muitos deles. Claro que povoarão esse espaço, majoritariamente, mas também curto literatura, feminismo, direitos humanos e Direito. Tudo bem, não quero trazer trabalho para dentro do Mochi, que é meu hobby e acho, só acho, que deixarei os textos técnicos bem longe desse ambiente descontraído

Bom, pensei em ter um número fixo do tipo 10, 20 ou 30 textos, por publicação/mês. Daí bateu a neura: estou trazendo para cá minhas manias capricornianas insanas de métrica, organização e disposição, tão típicas do meu desempenho profissional? Não, não quero isso, não, de jeito algum. Tá bom, tentarei resistir e se não conseguir, apenas aproveitem, ok? 

Viagens, literatura, poesias e luta, um pouco ou muito de tudo, junto e misturado, liquidificado. 

________________ 

Junho foi um mês de ler muita coisa antiga e as novidades diárias. Até em relação ao Mochilinha isso aconteceu, com a redescoberta de antigas histórias que já fizeram brotar em mim novos projetos - ah, esse coração que nunca para de sonhar e desejar!

Não anotei, então vou jogar aqui o que lembro de ter gostado mais e acho que sempre farei dessa forma, um exercício de boas memórias. Na estréia falarei um pouquinho sobre alguns blogueiros, pois é um momento especial - estréias são sempre especiais. 


Ufa, vamos lá, a primeira vez sempre dá um certo frio no estômago - clique no nome do blog e viaje no post escolhido

Andarilhos do Mundo: não poderia iniciar com outro blog que não o que me inspirou. Entretanto, somente essa não seria uma boa razão, não fossem os posts maravilhosos dos meninos, claro. O Andarilhos andava meio quietinho, já estava com saudades, quando me surpreenderam com um lindo post sobre o #TchÊncontro - fiquei feliz que só! Nem vou puxar "brasa para minha sardinha", pois o post seguinte fez meus olhos ficarem grudados na tela: que lugar lindo. 

Devaneios de Biela: a Gabi anda pelo mundo com passos firmes de quem não sabe onde quer chegar, mas tem a certeza de que ir faz parte do aprendizado. Uma amiga amada, que estava aqui tão pertinho, mas que apenas o universo dos blogs de viagem trouxe para minha vida. E ela andou por Helsink e descobriu uma vila abandonada, tipo uma cidade fantasma. Gosto de fotografar lugares diferentes e enquanto lia cheguei a ouvir a música do filme Tomates Verdes Fritos, uma paixão. 

Turomaquia: sempre digo que a Patricia costuma me levar pela mão, nas viagens. Quando quero saber algo sobre como chegar, sair ou onde ir em algum lugar vou no Turo e espio se ela tem dicas. Só que muito mais que uma guia perfeita, a Patricia me ganha com sua paixão por arte, pelos museus e pelas histórias no entorno desse universo. E aí, qual seria mesmo a razão de tantas e lindas bailarinas na obra de Degas? 

Abrindo o Bico: a Marcie, amiga mais que querida, e suas dicas certeiras de Nova York - museus, cantinhos, comidinhas e atrações imperdíveis. Tá bom, confesso que ainda não fiz uso, mas se for escolher todas as que mais gostei ao longo dos tempos... Aff, quanto custaria uma estadia de meses por lá, mesmo? 

Territorios: sou tão fã do trabalho mega profissional da Roberta, que é difícil escolher um único post. Primeiro ela me atraiu pelas fotografias, pelo olhar único de suas imagens, mas depois vieram as postagens dos projetos, das viagens e peguei carteirinha do fã clube e ponto. 

Roma pra Vc: Roma é uma cidade querida na minha vida e a Lú está sempre reavivando o carinho que tenho por ela, com suas dicas certeiras. Quando penso que não a colocarei no próximo roteiro ela vai lá e posta sobre meu tiramissù predileto ou uma lista de papelarias enlouquecedoras. Pode isso? 


Projeto 101 Paises: fã incondicional que sou do casal e de suas viagens para lugares improváveis (sabem que eles fizeram uma maratona para conhecer o Haiti?), escolhi uma que li há uns três meses, que achei diferente e interessante. A Gabi foi das primeiras blogueiras que conheci e trocamos muitas impressões, falamos de planos para os bloguitos e tem sido gostoso ver como muito daquilo se realizou. O Projeto é um sucesso e, um dia, trocará o 101 por 193. 


Nativos do Mundo: Cuba sempre habitou meu imaginário e foi uma viagem que fiz muito influenciada pelas postagens de outros blogueiros. Saiu do meu imaginário e ganhou o coração, foi uma viagem para libertação, para quebra de esterótipos. Posso dizer que Havana e seu povo operaram mudanças em mim que se tornaram perenes, me fizeram ver, ainda mais, a importância das coisas simples e da possibilidade de muitos olhares sobre conceitos como Liberdade e Necessidade. Jamais lavarei um prato da mesma forma e o texto da Ana traduz um pouco desse olhar. 


A Fragata Surprise: a Cyntia e sua Fragata estão na minha vida desde que comecei a blogar. Ela, inclusive, foi uma das primeiras amizades virtuais que tirei da tl e joguei nas mesas dos bares, onde o papo rolou solto. Um caso onde as viagens deram elementos para unir pessoas tão diferentes, com histórias de vida e entendimentos diversos, mas que por um elo em comum constroem um outro viés. Gosto de tudinho que tem na Fragata, mas como apaixonada por Portugal é dele que fala o post. 


Central do Textão: bom, ele não é propriamente um blog, mas um lugar onde você poderá descobrir dezenas de blogs que entrarão para sua lista de leitura. Me fez perceber o quanto são efêmeras as paixões, pois li um texto sensacional e, ao ir buscá-lo, não o encontrei: esqueci a qual blog pertencia. Assim, deixo o link para que você encontre suas próprias paixões e amores, por lá. 


Biscate Social Club: uma reunião de postagens excepcionais, onde cheguei por conta da Renata Lins, que sigo no facebook. Hoje, entretanto, o texto selecionado foi de outra Lins, mas não menos cheio de nuances. 


Próxima Parada: Minas Gerais tem estado muito em meus planos, tenho pensado em alguns roteiros e o Próxima Parada vive multiplicando meus desejos. Sabe aquela história de reservar uma semana? Pois é, se depender deles nem um mês será suficiente! 

Peripécias de uma flor: o que mais amo são as histórias "sem supervisão" da Gardens, mas para isso tem que acompanhar a menina no dia-a-dia - tem épocas que o face dela é hilário. Hoje, dicas de um lugar para onde ainda não fui! 

Tô Pensando em Viajar: descobri, antes das histórias, o olhar encantador da Alê. Enquanto estou olhando o céu ela captura um olhar, um gesto, um mínimo e encantador movimento. Seu olhar para o mundo é único, carrega suas paixões e experiências e nos permite viajar sem letras. E quando as letras chegam e se unem? Que combinação perfeita! Pera, ela é a única criatura que me faz sentar, tirar o pc do mudo e assistir videos. Fotógrafa oficial do #TchÊncontro. Se encante, experimente assistir esse vídeo ou, quem sabe, esse aqui  também. A amizade veio depois, trouxe a Sô, um abraço carinhoso, palavras afetuosas, uma casa acolhedora e uma mesa deliciosa (ninguém no mundo faz um risoto de limão siciliano como ela, aviso). 

Oxford Comma: fazia muito tempo que não cruzava com ele, até que hoje ressurgiu e ganhou um cantinho aqui. Selecionei o manifesto, mas ele é cheio de pequenos textos e citações deliciosas, como a de Junger, em 27/06. 

Nós no Mundo: dois amigos, quatro mãos, bom gosto e muitas histórias e dicas para partilhar. Nos encontramos outro dia e Anna falou sobre Cuba com o mesmo encantamento com que falo, pois teve também uma experiência muito especial. 

Preciso Viajar: a Fê já está acostumada, pois por mais que escreva e ela escreve muito, sobre muitos e muitos lugares, sempre falo de um mesmo post, artiguinho que só, mas inesquecível. Sabe aquele instante que você cria algo que é realmente especial? Pois é, a Fê criou o "É preciso...". 

Uma Senhora Viagem: sempre me pergunto como pessoas com vidas e histórias tão diferentes se encontram no mundo. Descobri que não há respostas para tudo, que temos que deixar a vida transcorrer e acontecer. Assim somos nós, Lilian e eu, seres que se esbarraram nas redes sociais e que quando rolou o olho no olho deu liga. E ela, safada, já foi colocando mais uma cidade em meu roteiro mineiro (aquele que ainda não joguei nas estradas). 

Divino Guia: gosto mais de usar a alcunha "O Engenheiro que virou Vinho"! O Álvaro é um cara sensacional que me foi apresentado virtualmente pela Débora, do Gosto e Pronto, mas com quem passei dias deliciosos na Festa da Vindima, em Bento Gonçalves. Dúvidas sobre vinhos e rótulos? Mas bah, o Àlvaro quebra esse galho fácil! 

Café Viagem: outra Alê trazida pelos blogs de viagens para meu universo. Uma criaturinha elétrica, o avesso do avesso de mim, mas que me faz gargalhar com sua bagunça organizada, com sua agitação, espontaneidade e com as cores que captura com suas lentes. Apaixonada pela Serra Gaúcha, mas que povoa meu imaginário com cores que estão mais distantes. 

4Blogs: gosto desse, que traz livros com temática de viagens. Muitas vezes fico um tempão sem visitar e quando vou espiar está repleto de novidades. 

Viajar pela História: e se alguém apaixonado por história, como eu, encontrar um blog com a história dos lugares por onde anda ou por onde sonha andar? Magia, total. 

Projeto Elas por Elas: um pouco de feminismo contra dias sombrios. 

Sol de Barcelona: um dos primeiros blogs de viagem a entrar para minha listinha de leituras cotidianas. Gosto como a Cris descreve Barcelona com paixão, como ela nos carrega pelas ramblas e parques, pelos bares e cantinhos escondidos com o prazer das boas descobertas. Só não vou linkar o Gótico para não ser repetitiva, acreditem. 

Viaggiando: a Camila tem muitas histórias para contar, de muitos e muitos lugares, mas nada é mais interessante que o Projeto 198 Livros. Já conhece? Sou fã, só estou tentando não imitar, juro. Nesse post do link, livro, viagens e transformação. 

Agenda Berlim: postagens que contam a história de lugares ou pessoas sempre me atraem, fortemente. Outro dia surgiu esse na minha tela, que fala de um período da história sobre o qual li muito ao longo da vida, muito influenciada na infância pelos livros que meu pai mantinha em sua biblioteca. Para quem não sabe, livros de história e biografias, além de história da arte, foram os mais lidos por mim. Um post sobre história, renascimento e aprendizado. 

Boralá: gosto das histórias e do trabalho fotográfico em alguns posts. Tem fotos sensacionais de Punta Arenas e do Canadá, por exemplo. Um blog para garimpar. 

De uns tempos pra cá: curto acompanhar as viagens das meninas, sempre recheadas de imagens lindas. Gosto dos projetos, como fotos das torres ou de luminárias pelo mundo. Viagens sem malabarismos, blog sem técnicas avançadas, apenas um diário partilhado como um papo numa mesa de bar. Ah, e ultimamente as cores da China estão colorindo os posts. 

Maria Berenice Dias: é assim mesmo, o site tem nome e sobrenome. Abaixo do nome talvez o que mais simbolize o trabalho de base feito por essa jurista, por tantos anos Desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul: "O afeto merece ser visto como uma realidade digna de tutela". Com a bandeira do afeto ela enfrentou leões, deu novos contornos para antigas visões e transformou vidas. Trocou homossexualismo em seus acórdãos por homoafetividade, reconheceu direitos enquanto outros discutiam tradição e religião e, sem freios, ofereceu a tutela do Estado para casais do mesmo sexo, para mulheres agredidas e crianças abandonadas, tornando efetivo tudo aquilo no que acreditava. Seus textos curtos, objetivos e cheios de sentidos derrubam muros e constroem novos caminhos. Gosto de vê-la nos embates, quando derruba seus adversários usando conceitos como afeto e familias

Mochilando por Aí: o blog está voltando, depois de meses com problemas técnicos. De qualquer sorte, não poderia ficar de fora da minha primeira lista, ainda que tenha linkado um post mais antiguinho. Foi por ele que minha curiosidade em conhecer Cuba virou viagem e paixão. Mais que isso? Tenho muito carinho e gratidão pela Fabíola, uma amiga linda e tão cheia de sonhos, como eu - duas viajantes, da vida. 


Para o Topo